Siga-nos twitter facebook
Edição: Brasil
Clique aqui para recebernossa newsletter gratuita cliquez ici
Ambiente

Relatório das Nações Unidas recomenda proibição de microplásticos em cosméticos

Por ocasião do Dia Mundial dos Oceanos, o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) publicou, na semana passada, um relatório que recomenda precaução na gestão de microplásticos e a proibição definitiva do uso desses ingredientes em produtos cosméticos.

O estudo, denominado Plastic in Cosmetics - Are We Polluting the Environment Through our Personal Care? Plastic ingredients that contribute to marine microplastic litter (disponível aqui), é uma compilação dos conhecimentos atualmente disponíveis sobre a incidência dos plásticos presentes em cosméticos na poluição das águas marítimas.

Foto: © Violanda / shutterstock.com

Foto: © Violanda / shutterstock.com

Segundo o relatório do PNUMA, mais de 299 milhões de toneladas de plástico foram produzidas no mundo em 2013. O problema é que parte dessa produção foi parar nos oceanos.

Ao longo dos últimos 50 anos, as micropartículas de plástico, ou microplásticos, têm sido usados em um grande número de formulações cosméticas, dentifrícios, esmaltes para unhas, sabonetes líquidos e sombras para os olhos. Uma pesquisa realizada pela Cosmetics Europe revela que, ao todo, 4.360 toneladas de esferas de plástico foram utilizadas em 2012 nos países da União Europeia, na Noruega e na Suíça. As microesferas de polietileno representam 93% desse total, ou seja, 4.037 toneladas.

Ao serem eliminadas no esgoto, essas partículas não podem ser filtradas nem recicladas e, como não se decompõem nas instalações de tratamento de águas residuais, vão parar, inevitavelmente, nos oceanos. Uma vez em águas marinhas, o plástico não desaparece, apenas se fragmenta, transformando-se em finas partículas chamadas pellets.

Proibição à vista

"Estamos começando a conhecer os efeitos dessas partículas nos organismos marinhos, em particular em mamíferos, assim como os efeitos secundários potenciais para a saúde originados pela cadeia alimentar, inclusive a saúde dos seres humanos que consomem produtos do mar", explica um representante do PNUMA. A entidade estima que o custo dos danos ambientais causados ao ecossistema marinho seja de aproximadamente 13 bilhões de dólares por ano.

Considerando os riscos potenciais originados pelo uso de microplásticos, o relatório faz uma série de recomendações destinadas a fabricantes e consumidores, bem como a cientistas e autoridades políticas. Em especial, a entidade propõe a eliminação voluntária desse tipo de material pelo setor industrial e a proibição definitiva nos produtos cosméticos.

A votação de leis que proíbam o uso de microplásticos ou contemplem sua retirada progressiva da formulação de produtos cosméticos já teve início e o debate promete continuar: o estado americano de Illinois foi o primeiro a aprovar a proibição de microplásticos em cosméticos a partir de 2019; Califórnia e Nova York preveem a adoção de medidas similares; a Comissão Europeia colocou a poluição marinha por microplásticos na linha de frente de suas prioridades; Holanda, Áustria, Luxemburgo, Bélgica e Suécia publicaram um apelo conjunto em favor da proibição de microplásticos usados em produtos cosméticos.

(Tradução: Maria Marques)

© 2015 - Brazil Beauty News - www.brazilbeautynews.com

mais recentes
Foco
Thermolat: novo ingrediente da Symrise tem ação aquecedora

Thermolat: novo ingrediente da Symrise tem ação aquecedora

O novo princípio ativo sensorial da Symrise proporciona uma suave sensação de calor sobre a pele, semelhante à de um raio de sol. Com o nome de Thermolat, ele foi desenvolvido para entrar na composição de cremes, géis e bálsamos e produz efeitos duradouros, com a vantagem de não provocar sensação de ardência ou queimação. "Comparado com o (...)

+ informações
Palavra de especialista
Lipotec combate o estresse urbano

Lipotec
Lipotec combate o estresse urbano

A vida moderna nos traz diversas vantagens e praticidades, como água corrente, eletricidade, automatização, medicina moderna e muitas oportunidades tanto na vida pessoal quanto na profissional. Mas também possui seus efeitos negativos como poluição, estresse, falta de sono, pouco contato com a natureza, etc. Desde a Revolução Indústrial (...)

+ informações

Seções